CONCEG participa de Audiência pública para debater revisão tarifária

Foi realizada na quinta-feira,23/08, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL),  audiência pública para debater a quarta revisão tarifária periódica da Celg Distribuição S.A. (hoje Enel Distribuição Goiás). O evento contou com mais de 100 participantes, dos quais 14 expositores que fizeram manifestações a respeito do tema.

O presidente do Conselho de Consumidores de Energia Elétrica do Estado de Goiás (CONCEG), Wilson de Oliveira, representante da classe industrial no colegiado, ressaltou, na oportunidade, que o fornecimento de energia elétrica no Estado tem sido classificado como um dos piores no País. Ele reconheceu os esforços que a atual concessionária vem fazendo no sentido de reverter o quadro, através de vultosos investimentos, que acabam impactando na tarifa. Porém, considera que o valor pleiteado vai contra a realidade financeira do País.

Wilson de Oliveira destacou que o CONCEG tem o poder de informar a sociedade, analisar os números do reajuste e atuar com o intuito de se buscar um equilíbrio na revisão tarifária, a fim de que seja garantida a qualidade dos serviços, porém, sem sacrificar o consumidor. Para isso, foi contratada uma assessoria especializada de São Paulo, para poder subsidiar o trabalho do Conselho, em relação a sua atuação nesta questão.

O reajuste que está sendo pleiteado pela concessionária junto à ANEEL para as unidades consumidoras de baixa tensão, que abrange de forma mais genérica o consumo residencial, é de 12,12%. Já para as unidades consumidoras de alta tensão, que abrange indústrias e grandes propriedades rurais, o valor pleiteado é de 24,65%, sendo que o efeito médio para o consumidor seria de 15,72%.

“A energia é o oxigênio da indústria”, pontuou Wilson de Oliveira, observando que o setor teria um impacto negativo grande com o ajustamento da tarifa conforme a proposta em discussão.

O CONCEG, através da sua assessoria, defende que medidas sejam adotadas a fim de minimizar os impactos da revisão tarifária e, neste caso, haveria dois caminhos a serem seguidos: o parcelamento do índice e/ou a revisão do mesmo.

Os índices finais deverão ser aprovados no mês de outubro próximo, em reunião de diretoria da ANEEL, com previsão de vigorar a partir do dia 22/10. A concessionária atende 2,9 milhões de unidades consumidoras localizadas em 237 municípios de Goiás.

Também membro do CONCEG, o conselheiro Cristiano Palavro ressaltou a importância da presença da imprensa, em fóruns de debates como a audiência pública da revisão tarifária, pois essas discussões que afetam diretamente toda a população goiana. E, conforme avaliou, há muita distorção e desinformação levada ao público, piorando ainda mais a situação. Portanto, disse ele, quando a imprensa toma conhecimento da realidade, de que o aumento, apesar de elevado, não é injustificado. Então, também é importante conhecer os motivos que geraram o reajuste.

FIQUE SABENDO

Além das contribuições em audiência pública presencial, os interessados podem enviar sugestões sobre a revisão tarifária até 7/9/18, para os e-mails:

[email protected] – para o tema Revisão Tarifária;

[email protected] – para o tema Estrutura Tarifária;

[email protected] – para o tema Perdas Técnicas;

[email protected] – para o tema Indicadores de Continuidade (DEC e FEC)