Enel anuncia investimento em quatro novas subestações móveis

A Enel Distribuição Goiás está investindo R$ 38,1 milhões na compra de quatro novas subestações móveis. Nesta semana a distribuidora recebeu a segunda nova unidade, com 33,3 MVA de potência. A estrutura passará por testes técnicos e de segurança e a previsão é de que já esteja disponível nos próximos 10 dias.

Transportada a bordo de uma carreta, uma subestação móvel é capaz de desempenhar o trabalho de um transformador fixo, distribuindo energia da mesma forma que a estrutura fixa faz. 

As subestações móveis podem ser utilizadas pela companhia tanto em atendimentos emergenciais, quando há uma falha num transformador, por exemplo, como durante manutenções preventivas ou para melhorias, garantindo o abastecimento de energia até a conclusão dos trabalhos necessários.

A primeira unidade nova, que possui 50 MVA de potência, foi entregue no último mês de outubro e já está sendo usada em atendimentos e obras de melhorias.

As 4 novas subestações móveis se juntam a outras 4 que já pertencem à distribuidora. O responsável por Alta Tensão da Enel Distribuição Goiás, Reginaldo Santos, explica que, por conta do robusto plano de investimentos em desenvolvimento no Estado, as subestações móveis são fundamentais para que a companhia garanta o fornecimento de energia durante as execuções de melhorias nas subestações.

 “Só este ano, estamos fazendo obras de ampliação e modernização em cerca de 120 unidades. Em algumas, precisamos trocar os transformadores por outros mais novos e/ou potentes e graças às subestações móveis, é possível realizar o trabalho sem prejudicar o fornecimento de energia para os clientes”, completa. 

Equipamentos

As subestações móveis são equipadas com transformador de potência, que no caso das unidades de Goiás, varia de 5 a 50 MVA, disjuntores, equipamentos de controle e proteção, cabos e conexões. Ainda segundo Reginaldo, a grande vantagem é a flexibilidade e a agilidade que a subestação móvel proporciona.

“Com a subestação móvel podemos fazer intervenções rápidas no sistema, sejam elas de forma preventiva ou corretiva. Por exemplo, para realizar a troca de um transformador por outro mais moderno, sem a subestação móvel, seria necessário montar uma subestação provisória, que levaria vários dias. Já com a unidade móvel, basta desloca-la para a subestação, realizar testes técnicos e de segurança e conectá-la ao sistema. Todo esse processo é realizado em poucas horas”, acrescenta.

Atualmente, as 5 subestações móveis disponíveis ficam localizadas na sede da companhia, em Goiânia, e são deslocadas para qualquer ponto do Estado, quando necessário. Com a chegada das próximas 2 unidades, prevista para janeiro e fevereiro de 2021, as subestações serão redistribuídas pelas regiões de Goiás, encurtando distâncias e dando ainda mais agilidade.

Veja abaixo como será a nova disposição
das subestações móveis em Goiás: