Governo Federal faz campanha por consumo consciente de energia

Pequenas atitudes no dia-a-dia podem ajudar o brasileiro a economizar água e energia. E para ajudar as pessoas a tornarem ações simples um hábito diário, o Governo Federal possui a campanha Consumo Consciente. Especialmente neste período mais seco que atinge os reservatórios de água no país, é preciso ficar de olho no consumo e na economia de energia.

O secretário de Energia Elétrica, do Ministério de Minas e Energia, Rodrigo Limp, explicou que, pela grande predominância das hidrelétricas na nossa matriz, a produção de energia é impactada pelo regime de chuvas, e consequentemente pelo nível dos reservatórios.

“Em períodos de melhor afluência, aumentamos nossa produção de energia elétrica, e, em períodos de seca, precisamos aumentar a nossa produção nas usinas termoelétricas para garantir a segurança no fornecimento para todos os brasileiros.”

“Nos últimos meses, especialmente desde outubro de 2020, quando deveria ter iniciado de forma mais forte o período chuvoso no país, nós enfrentamos a pior seca de todo histórico de registro, ou seja, a pior seca para esse período dos últimos noventa anos. Principalmente nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, que é onde se localizam a maior parte dos nossos reservatórios”, afirmou o secretário de Energia Elétrica.

Rodrigo Limp reforçou a importância do consumo consciente de energia por parte dos consumidores. “Evitando o desperdício, nós reduzimos nossas contas de luz e também contribuímos para preservar águas nos reservatórios e reduzir a geração termoelétrica, reduzindo assim o custo total da produção de energia e contribuindo para preservação do meio ambiente.”

De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o boletim do Programa Mensal de Operação (PMO), referente à semana de 17 a 23 de abril, estima que os volumes dos reservatórios atinjam até o fim do mês 82,6% no Norte; 65,7% no Nordeste; 58,2% no Sul; e 34,7% no Sudeste/Centro Oeste. O documento indica ainda a ocorrência de chuvas abaixo da média em todas as regiões do país. (Fonte: Governo Federal)